domingo, 23 de fevereiro de 2014

A educação brasileira em época de reajuste e eleição

     A educação brasileira está em decadência, e não é de hoje. Nos séculos passados a educação era tratada com mais respeito, os professores eram mais valorizados e a sociedade era mais unida quando se tratava de reivindicar pela educação de seus filhos, pois escola não era sinônimo de creche ou internato. 
    A valorização da educação e dos professores vai de região para região, em que os governantes de cada parte do país têm ou não consciência da importância da educação para o desenvolvimento de sua região e do próprio país.
   Demagogicamente se discute sobre o papel da educação em seminários, simpósios, congressos, mesas redondas, quadradas, retangulares em escolas, em faculdades de educação e daí por diante. E isso resolve ou ajuda em alguma coisa? Não, não contribui em nada para melhorar a educação, por que quem deveria estar sendo os palestrantes de tudo isso não são os políticos, que nem sequer precisam ter nível médio ou superior, basta saber ler e escrever, e olhe lá, às vezes nem precisa, mas sim os professores, e não são quaisquer professores, mas os professores de ensino público, pois a decadência na educação assola principalmente a esfera social mais pobre e menos favorecida, e isso não é mais novidade para ninguém.
     O que me fez escrever essa postagem? É só olhar para o país, e aprofundar um pouco mais o olhar na Bahia. O país encontra-se num ranking bem distante dos países que investem na educação, bem distante daquela ilhazinha que se chama Cuba. Hoje as pessoas entram analfabetas nas escolas e saem analfabetas funcionais.
    Sei que muitos vão se opor ao que digo, mas é só olhar para o país e ver que bolsa escola, bolsa família, bolsa gás, fome zero, escola aberta e sei lá mais o quê não vai melhorar a educação, pois se fosse algo que  ajudasse a educação já tinha melhorado e muito. O mundo muda e a educação não acompanha os passos largos da tecnologia e modernização das coisas. Estamos vivendo em um mundo em que daqui a algumas decadas a profissão de professor não vai mais existir, estamos perto da extinção, isso é fato!O que podemos fazer? Nos unir para tentar salvar o mundo? Acho que não!

Um comentário: